História – Alexandre Levy

Alexandre Levy, um precursor do nacionalismo musical brasileiro, profundamente influenciado pela música de Robert Schumann, poderia ter se tornado o compositor mais querido do Brasil, se tivesse vivido mais que 28 anos. Suas obras são muito interessantes e importantes historicamente.

Alexandre Levy (10/novembro/1864 — 17/janeiro/1892) foi um compositor brasileiro do século XIX que viveu na cidade de São Paulo.

O garoto cresceu num ambiente muito musical. Seu pai, Henrique Luis Levy, foi o fundador da Casa Levy, uma loja de música muito importante na vida cultural da cidade de São Paulo.

O primeiro professor de música de Alexandre Levy foi seu irmão Luis Levy, excelente pianista e também um bom compositor. Mais tarde, Alexandre estudou com Gabriel Giraudon, professor francês que vivia em São Paulo.

A cultura francesa deve ter influenciado Alexandre Levy. A família provavelmente falava francês em casa: seu pai era francês de nascimento e sua mãe vinha da parte francesa da Suíça. O compositor costumava dar títulos em francês às suas obras.

A música de Alexandre Levy mostra o quanto ele admirava Schumann. Mas suas obras são altamente originais e às vezes construídas em formas populares brasileiras (o caso do Tango Brasileiro) ou usam temas folclóricos brasileiros como matéria prima, o que o torna um pioneiro do nacionalismo musical brasileiro.

De fato, mesmo se sua arte é fundamentalmente européia, Alexandre Levy foi classificado por Mario de Andrade (talvez irresponsavelmente) como um compositor mais caracteristicamente brasileiro, juntamente com Antonio Carlos Gomes (1836-1896) e Alberto Nepomuceno (1864-1920), do que outros cujas tentativas de fazer música brasileira parecem mais uma concessão ao exótico, pois não conseguiam se libertar o suficiente das lições européias (Leopoldo Miguez (1850-1902), Henrique Oswald (1852-1923), Francisco Braga (1868-1945), João Gomes de Araújo, Barroso Neto (1881-1941) e Glauco Velásquez (1884-1914)).

Alexandre LevyNão se pode dizer que Alexandre Levy foi o primeiríssimo compositor a usar elementos populares brasileiros como base temática porque já em 1857 Antônio Carlos Gomes escrevia “Cayumba”, uma dança de negros, inspirada em fontes populares. Outra obra importante que precedeu às de Alexandre Levy foi a rapsódia para piano “A Sertaneja”, do diplomata e compositor Brasílio Itiberê da Cunha (1848-1913), composta em 1869. A canção usada foi “Balaio”, do sul do Brasil.

Mas isto não diminui a importância histórica de Alexandre Levy, que também se deve à qualidade de suas composições.

Em 1887 Alexandre Levy foi para a Europa para completar sua educação. Em Paris ele estudou harmonia e contraponto com Emile Durand, que haveria de ser também professor de Claude Debussy.

De volta a São Paulo, Alexandre Levy compôs algumas obras-primas até sua misteriosa morte prematura. Ao que se saiba não sofria de nenhum mal, mas subitamente faleceu, deixando já uma produção espantosa para quem teve apenas 28 anos de vida. “Um anúncio de gênio”, disse Mario de Andrade.

Alexandre Levy – Breve Resumo

 Alexandre Levy, nascido em São Paulo no dia 10 de novembro de 1864 e falecido em São Paulo, no dia 17 de janeiro de 1892. Alexandre Levy foi compositor, regente, pianista, crítico musical, um dos precussores do nacionalismo musical Brasileiro e ainda considerado como responsável pela apresentação do Samba para aristocracia Brasileira e Mundial. Patrono da cadeira de número 29 da Academia Brasileira de Música. Alexandre Levy Apresentou-se em público pela primeira vez aos oito anos de idade e foi comparado a Mozart por sua precocidade e brilhantismo.

A Famíla de Alexandre LevyAlexandre Levy - Samba

 Alexandre Levy era filho de Henrique Luiz Levy, seu pai era músico, comerciante de pianos e padrinho musical de Carlos Gomes, seu irmão, Luís Levy, tambem era músico e foi o primeiro professor de Alexandre Levy . Aperfeiçoou seus estudos de piano com o professor russo radicado na capital paulista Louis Maurice e com o francês Gabriel Giraudon, este, anteriormente mestre de outro gênio residente em São Paulo que foi Henrique Oswald.

Em 1860 seu pai fundara a Casa Levy, um dos mais tradicionais estabelecimentos comerciais de música em São Paulo em sua época, o que possibilitou que Alexandre Levy entrasse em contato com muitas figuras importantes na cena musical paulista e músicos viajantes.

A partir de 1880 Alexandre Levy começou a publicar composições próprias através de editoras européias, e em 1883 foi eleito diretor do Clube Haydn, importante associação musical da cidade que ajudou a fundar e onde regeu pela primeira vez em 1885. Dois anos depois Alexandre Levy viajou para a Europa para estudar com Émile Durand e Vincenzo Ferroni, retornando logo ao Brasil, quando começou a exercer a crítica musical na imprensa paulista, escrevendo nos jornais Província de São Paulo e Correio Paulistano sob o pseudônimo de Figarote.

Em sua obra de composição Alexandre Levy foi um nacionalista, utilizando temas do folclore brasileiro, área em que foi o precursor dentro do universo da música erudita nacional com as Variações sobre um tema popular brasileiro, de 1884, baseada na melodia Vem cá, Bitu!. Seu estilo deriva das escolas de Schumann e Mendelssohn.

WhatsApp chat